segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Capítulo 63 - ChrisMa me parece um bom nome

TEM CAPÍTULO NO BLOG DA DANI!! seusorrisomefazsorrirnjr.blogspot.com.br


Acordei no outro dia com a Luana me chamando
Luana: Maria, acorda
Clara: o que foi?
Luana: eu sei que a gente não dormiu quase nada, mas o Brian ligou e disse que daqui a trinta minutos tá passando aqui - eu me espreguicei
Clara: aff, sério? - ela assentiu, peguei meu celular e era 8h27 da manhã, que legal!
Luana: vou tomar o meu banho, aí você toma o seu enquanto eu preparo o café, pode ser?
Clara: pode sim
Luana: ok então, bom dia - me deu um beijo na bochecha
Clara: bom dia - ri e ela saiu do quarto. Levantei e fui arrumando meu quarto. Assim que terminei, separei uma roupa e fui no quarto da Luana e como ela não estava lá e também não tinha o arrumado, fiz isso pra ganharmos tempo.
Ela saiu do banho, me agradeceu por ter arrumado seu quarto e eu fui tomar meu banho. [...] Depois de prontas, tomamos nosso café da manhã, arrumamos tudo na cozinha, escovamos os dentes e ficamos esperando o Brian, que demorou mais vinte minutos pra chegar. Pegamos nossas coisas, descemos e encontramos ele ali na recepção
Luana: pra quem viria em trinta minutos né - eu ri e o cumprimentamos
Brian: falei trinta minutos pra não atrasarem e vejo que deu certo - riu
Clara: na próxima você pode falar o horário certo tá, odeio acordar cedo
Brian: cedo? - fomos saindo do prédio - vocês vão acordar antes das seis da manhã quando começarem as suas aulas - riu
Luana: pelo menos vamos estar psicologicamente preparadas né - entramos no carro e dessa vez eu fui na frente com ele. Brian nos levou a todos os cantos da cidade universitária e eu não imaginava que isso pudesse ser tão grande. Perto do horário de almoço, ele disse que nos levaria a um restaurante mais no centro da Califórnia e disse pro seu irmão nos encontrar lá.
Brian: vocês comem qualquer coisa? 
Clara: qualquer coisa é meio puxado né?! - rimos
Brian: você entendeu
Luana: eu como de tudo
Clara: eu acho que eu também - ri - será que seu irmão vai demorar? tô morrendo de fome
Brian: pode ficar feliz, ele já tá ali - apontou com a cabeça e quando vi, meu Deus! o que era aquilo? sério, que homem, gente! - hey, bro! - levantou a mão e ele veio até nossa mesa
xxxx: i'm late? - deu um toque na mão dele e depois nos olhou - hi - sorriu acenando para nós e retribuímos o sorriso e o aceno
Brian: são brasileiras, cara - riu - Bertolli, Collins, esse é o Christian e bro, essas são Luana - apontou pra ela - e Clara - apontou pra mim e ele sorriu. Que sorriso!
Christian: prazer - sorriu nos cumprimentando novamente, mas agora com um beijo no rosto
Clara: prazer é meu
Luana: é nosso - eu ri e o Brian me acompanhou
Brian: senta - puxou a cadeira que estava a minha frente e o Christian se sentou
Christian: estão na cidade universitária? - nos perguntou e quase morri com esse sotaque misturado
Clara: estamos sim
Brian: vão ficar por seis meses e sob meus cuidados - riram
Christian: fazem o que?
Luana: vamos fazer o curso de árbitros e assistentes
Christian: que legal! não começaram ainda?
Clara: não, só semana que vem, por enquanto estamos nos adaptando a tudo - sorri e ele sorriu também - eu não queria ser inconveniente, mas podemos fazer os pedidos? juro que tentei aguentar, mas tô com muita fome - eles riram
Brian: vamos pedir, Bertolli - disse rindo e chamou o garçom. Fizemos os pedidos e continuamos conversando
Christian: mamãe vai fazer outra campanha e chamou Olivia pra fazer comigo
Brian: shit! ela não cansa de insistir? sabe que Olivia não gosta de posar e eu também não gosto dessa insistência dela - Christian riu - não ri, Hogue, é sério! - Olivia deve ser a noiva dele né
Christian: eu só estou brincando, ela não a chamou, mas pensou na possibilidade
Luana: quem é Olivia, gente? - eu ri 
Brian: minha noiva - riu - já falei dela pra vocês - eu assenti
Christian: enfim, ela não chamou Olivia, mas preciso arranjar alguém pra campanha
Luana: você não tem namorada? chama ela - ele riu
Christian: não, não tenho - sorriu, como isso pode estar solteiro, gente? que pecado
Brian: e a Vale?
Christian: viajou pra fazer umas fotos da Gucci, não tenho ninguém em mente! - trouxeram nossos pedidos - thanks - sorriu pro rapaz e agradecemos também
Brian: olhe pra frente e vai encontrar uma solução pro seu problema - eu estava prestes a colocar o garfo na boca, quando percebi que eles estavam me olhando, então paralisei
Clara: o que? eu? - Brian levantou a sobrancelha - não, nada disso, já disse que não sou boa, para
Christian: Clara né?! - eu assenti - você tem perfil pra isso e eu ficaria muito feliz de não ter que correr atrás disso pra minha mãe - eu fiquei o olhando
Clara: mas eu nem sei fazer isso, gente
Christian: é bem fácil, você vai ver
Clara: não sei - a Luana me cutucou, acho que pra eu parar de enrolar né
Christian: diz que pensa pelo menos
Luana: é claro que ela vai pensar, não é Maria? - me olhou
Clara: é,é, eu vou pensar - sorri
Christian: Maria? nos olhou confuso
Brian: é, o nome dela é Maria Clara - disse enquanto comia tranquilamente depois de me botar nessa saia justa - pode chamar de Bertolli também, se preferir - Christian riu
Clara: tá bom, eu vou pensar, ok, agora posso comer né?! - eles riram
Luana: come minha filha, come - a olhei e rimos. Almoçamos num clima muito bom. Adorei o Christian, ele não é tão diferente de como é o Brian, gostei bastante dele e não só pela beleza, mas pela simpatia também. Depois de almoçarmos e comermos a sobremesa, rachamos a conta e fomos saindo de lá.
Christian: vocês vão voltar pra cidade universitária? - Brian assentiu tocando em sua mão - vocês duas tem instagram? - eu ia dizer que sim, mas lembrei que o Neymar ainda me segue e saberia onde eu estou
Clara: eu tinha, não tenho mais, mas vou fazer outro
Luana: eu tenho - pegou o celular - qual é o seu? - o olhou
Christian: é oficial, com dois éfis, underline hogue, com agá - ela digitou lá
Luana: esse? - o mostrou
Christian: esse mesmo - sorriu
Luana: e o teu, Brian?
Brian: brian ponto hogue - ela digitou
Luana: pronto, depois vocês me seguem de volta - guardou o celular
Christian: vou seguir - olhou no relógio - agora tenho que ir - deu um beijo na bochecha dela - tchau Luana
Luana: tchau Christian
Christian: tchau Bertolli - deu um beijo na minha bochecha - foi um prazer conhecer vocês - sorriu me olhando
Clara: tchau, prazer é nosso - sorri também
Luana: isso aí - Brian riu
Christian: tô indo - deu mais um toque com o Brian, acenou para nós e entrou no carro, saindo dali
Luana: qual é o nosso destino agora?
Brian: eu achei que vocês iam preferir voltar pra casa, mas se preferirem podemos turistar por aí - nos olhou
Clara: turistar
Luana: turistar - falamos juntas, nos olhamos e rimos
Brian: então vamos né - entramos no carro.
[...]
Depois de andarmos por todo os cantos de Los Angeles, o Brian nos deixou no nosso prédio por volta das 18h30. Nos despedimos dele e subimos
Luana: nossa, tô morta - se jogou no sofá e eu me joguei ao seu lado
Clara: nem me fale meu
Luana: Maria - eu a olhei - você tem instagram, não tem? por que não passou pro Christian?
Clara: ah meu, sei lá, o Neymar ainda me segue lá, os fãs dele também e eu não quero mais tanta exposição, sabe?! nunca quis né, mas enquanto eu estava com ele, tinha que aceitar
Luana: te entendo - ligou a tv - mas você vai fazer outro mesmo, né?!
Clara: vou - peguei meu celular - agora mesmo - abri o instagram, adicionei outra conta e criei o meu perfil, colocando como privado em seguida - pronto, Lu - ela pegou o celular
Luana: qual é?
Clara: mcfbertolli, com dois éles
Luana: segui - chegou a solicitação pra mim, permiti e segui a lucollins de volta - já segue os meninos - lembrei qual era o do Christian, mas não lembrei o do Brian
Clara: do Brian é qual mesmo?
Luana: pera - pegou o celular de novo - brian ponto hogue, com agá
Clara: achei - segui ele também e logo apareceu a solicitação dos dois pra me seguir também, já aceitei. Segui minha mãe, a Gabi, Rafa, Bianca, Dani, Diego, o Gui, meu primo, Rafinha, Thiago, tia Nadine, Neymar (pai) e a Carol, apenas. - acho que vou tomar um banho
Luana: vai lá e eu vou depois - eu assenti e levantei - o que a gente faz pro jantar?
Clara: ai, não sei, a gente toma banho e decide depois
Luana: beleza - fiz um joinha pra ela e fui pro meu quarto. 
[...]
Depois de comemos um macarrão maravilhoso feito por mim mesma, a Lu ficou encarregada de lavar a louça, fui secando e guardando pra ela, depois me despedi dela e fui pro meu quarto. Mandei mensagem de boa noite pra minha mãe e peguei no sono super rápido.

Sábado, 17 de Setembro de 2016
Eu e Luana já estamos completamente adaptadas a tudo aqui, desde as pessoas, aos horários e costumes. 
Eu acabei aceitando o pedido do Christian e ontem ele me levou pra conhecer a mãe dele, Charlotte. Ela conversou comigo e disse que eu sou perfeita para os seus catálogos, eu fiquei meio sem jeito, mas tudo bem. Hoje o Christian vem me pegar aqui pra nós irmos até o local onde serão tiradas as fotos.
Eu estou feliz porque finalmente recebi a famosa visita do mês, que demorou mais de um mês, mas veio, graças a Deus, então joguei aquele teste no lixo, fiquei bem aliviada. Porém, triste por saber que estou gorda mesmo e um verdadeiro saco sem fundo que não cansa de comer.
Clara: Lu, você viu meu carregador portátil? - disse procurando pela sala
Luana: não é aquele que está na tomada em cima do balcão da cozinha - disse num tom sarcástico. Fui até a cozinha, o peguei e voltei pra sala
Clara: ele mesmo, amiguinha, obrigada - sorri sínica e ela riu
Luana: Maria, você combinou que horas com o Christian?
Clara: nove e meia - olhei no relógio e eram 9h25
Luana: torça pra ele não ser como o Brian - rimos e chegou uma mensagem dele, avisando que estava lá embaixo
Clara: não é - ri e mostrei pra ela
Luana: oremos - ri - vai lá, boa sorte e se solta, porque o boy é topper - eu ri
Clara: calada - rimos, peguei minhas coisas, me despedi dela e saí do apê. Desci e logo vi o carro parado e o Christian do lado de fora, encostado no mesmo - hi - disse rindo e ele sorriu me dando um beijo na bochecha
Christian: tudo bem?
Clara: tô um pouco nervosa, mas tá tudo bem - rimos
Christian: podemos ir então? você vai ver como é tranquilo
Clara: quero só ver - ele riu
Christian: e te ajudo - sorriu abrindo a porta do carro pra mim
Clara: thanks - sorri entrando no mesmo, ele fechou a porta, deu a volta e entrou no carro também. Fomos o caminho todo conversando. Chegamos numa praia meio deserta, que eu não faço ideia alguma de onde seja. Vi de longe uma tenda montada na areia e um pessoal preparando o espaço 
Christian: vamos? - deu a mão pra eu segurar depois de descermos do carro e tirarmos os sapatos e eu a segurei - tá gelada - apertou minha mão e sorriu me olhando
Clara: talvez eu esteja um pouco nervosa - rimos e fomos indo pra areia
Christian: hi, we're there - disse pro pessoal ali, que respondeu e me apresentou pra todos eles. Todos eles um total de quatro pessoas mais a mãe dele kkk. 
Charlotte: que bom que chegaram, o Horacio - fotógrafo - estava louco já - rimos - Clara, entra ali na tenda e a Sophie vai te dar o biquini pra vestir, depois vai você, filho
Christian: sim senhora - eu ri e fui indo pra tenda. Consegui me comunicar com a Sophie tranquilamente, até porque, só falamos o básico. Me troquei e voltei lá pra fora vestindo um roupão
Clara: Hogue - ele me olhou - pode ir - ele sorriu
Christian: fica calma - disse baixo enquanto passava ao meu lado
Charlotte: Clara, agora, por favor, vai ali na Laura que ela vai te fazer uma maquiagem mais natural - eu assenti e fui até a moça, numa tenda menor. [...] Depois de maquiados, eu e o Christian fomos para as fotos. Juro que eu tava tentando me soltar, mas tava muito difícil pra mim.
Christian: ei - o olhei - fica tranquila, é só fazer o simples - sorriu e eu assenti. Ele me passou muita segurança, então conseguimos fazer algumas boas fotos, uma parte delas bem sensuais e eu gostei bastante. Obvio que tinha algumas em que eu pedi pro Horacio dar uma editada, porque eu estava me achando gorda.
Charlotte: as fotos ficaram perfeitas - disse sorrindo toda animada - parecia que você já havia fotografado a tempos - disse me olhando e eu sorri envergonhada
Christian: se a senhora pegasse a mão dela antes de começarmos, não falaria isso com tanta convicção - rimos
Clara: eu confesso que estava com medo, mas o Hogue me tranquilizou e eu até que gostei - sorri
Charlotte: posso te chamar mais vezes então? - sorriu
Clara: pode, claro que pode - sorri
Charlotte: ok então, muito obrigada tá?! depois eu te ligo pra gente acertar o seu pagamento
Clara: sem problemas, não se preocupa - sorrimos. Christian me chamou pra almoçar com ele, então nos despedimos do pessoal ali, agradecemos e fomos almoçar.
[...]
O Christian é um cara sensacional, sério! eu adorei passar uma parte do dia com ele, foi maravilhoso, parece que me fez esquecer um pouco da bagunça que estava minha vida, sabe? então. 
Depois de almoçarmos, fomos direto pra cidade universitária. Ele parou em frente ao prédio e me olhou
Christian: está entregue e intacta - rimos
Clara: obrigada - sorri - pela carona e pela força lá na hora das fotos
Christian: não precisa agradecer - sorriu - Brian vai adorar saber que a mamãe gostou de você - rimos
Clara: Olivia está livre - ele riu - bom, agora vou subir né - tirei o cinto - obrigada mais uma vez
Christian: sem agradecimentos, ok?
Clara: ok - sorrimos - tchau - dei um beijo na bochecha dele
Christian: tchau, manda um beijo pra Collins 
Clara: pode deixar - saí do carro e fechei a porta - tchau - ele acenou, eu entrei no prédio e ele saiu com o carro. Subi, entrei no apê e não vi a Luana por ali - Luana? - falei mais alto
Luana:aqui - disse vindo da cozinha com um pote de sorvete na mão - como foi lá? - se sentou no sofá
Clara: no começo eu tava tensa, mas aí o Hogue me deixou mais tranquila
Luana: tá bem americaninha já né - eu ri - o Hogue - me imitou e rimos -  rolou beijinho?
Clara: que beijinho - me sentei ao seu lado - eram fotos e não um encontro - revirei os olhos
Luana: fotos com roupas intimas
Clara: biquíni! - a corrigi
Luana: é quase a mesma coisa - eu ri e meu celular vibrou, era o Christian
Bertolli, Horacio me mandou 
algumas fotos de hoje
Ai, sério? me manda, please!
Hahahahaha
Mando
Ele me enviou três fotos
Obrigadaa
Me avisa quando sair o catálogo
Aviso sim
Se quiser postar alguma foto,
pode postar, ok?
Ok!
Thanks
Saí do whats e fui na galeria
Clara: olha só - a mostrei as fotos
Luana: MEU DEUS, MARIA! QUE HOMEM É ESSE? OLHA VOCÊS DOIS - eu ri
Clara: para de gritar, louca
Luana: não, sério, eu amei essas fotos
Clara: você não é normal - ri - acho que vou postar uma - ela me olhou - qual?
Luana: essa - me mostrou - adorei essa
Clara: tá, vou postar - só cortei lá a foto e postei
mcfbertolli: Pra uma primeira vez, até que fui bem não é? hahaha @official_hogue meu parceirão 
 📸 @horaciohamlet
rafaella: oi? hahahaha como assim? maravilhosa
gabsmarques: QUEM É?
thiagofmartins: que isso, Clara?
official_hogue: hahaha tudo sob controle, confia em mim
lucollins: oi, tudo bom? 
brian.hogue: thank you, Bertolli 
Parei de ver os comentários e olhei pra Luana
Clara: você é besta né - ela riu e chegou notificação no insta, o Christian também tinha postado uma foto, então abri pra ver
official_hogue: Photos for the new catalog of mom's collection. Partner @mfcbertolli did very well 
📸 @horaciohamlet
hogue_charlotte: they were perfect. Thank you!
Luana: meu Deus, que foto é essa, Maria? Luana está desmaiada, puta merda, olha a quimica de vocês, meu senhor - eu a olhei e ri
Clara: você é surtada, sério - rimos
Luana: já vou até pensar no nome do shipper, porque esse casal aqui é top - eu fiquei a olhando - ChrisMa me parece um bom nome - eu gargalhei e ela riu
Clara: cala a boca
Luana: mas é, olha, é a junção de Christian com Maria - ficou me olhando, ficamos em silêncio e depois nos acabamos de rir.



Mais um pra vocês!!
E parece que a Clara tá conseguindo seguir a vida hein.
Próximo capítulo eu coloco um pouco da visão do Júnior.
Espero que vocês estejam gostando.
Comentem bastante!
Beijos!





terça-feira, 19 de setembro de 2017

Capítulo 62 - eu não quero saber de nada dele

RECADO NO FINAL

Marcela: então é isso mesmo que você quer?
Clara: mãe, na verdade eu não sei se é o que eu quero, mas é o que eu preciso, eu tenho que recuperar tudo o que eu perdi nesse tempo
Marcos: filha, eu já disse que te apoio em tudo, então vou estar do seu lado
Marcela: eu digo o mesmo, vou morrer de saudades de você, mas estou do seu lado também - eu sorri os olhando já com lágrimas nos olhos
Clara: amanhã eu vou na Federação e vou ver se consigo um voo pro Rio, pra pegar as instruções na CBF
Marcela: e como você vai fazer com o Instituto?
Clara: vou falar com a Nadine, amanhã eu não teria que ir, porque está rolando umas palestras, mas vou falar com ela - ela assentiu
Marcos: e quando você tem que ir?
Clara: primeira semana de setembro
Marcela: nossa, mas já em cima assim? - eu assenti
Clara: eu vou fazer uma reuniãozinha pra me despedir, não vou chamar todo mundo, porque não quero que isso seja exposto e não quero que o Júnior saiba também
Marcos: tem certeza disso?
Clara: absoluta - assenti. Continuei ali conversando com eles, depois me despedi e subi pro meu quarto. Tomei um banho rápido e fui dormir.

Sábado, 27 de agosto de 2016
Hoje é o dia da minha pequena despedida, na verdade nem despedida é. Resolvi chamar só algumas pessoas, pra comunicar sobre a minha decisão. Chamei meus pais, vô Marcelo, vó Glória, a Gabi (óbvio), o Gui, Rafa, Nadine, Gustavo, tio Alex, tia Carla, Thiago e o Diego.
Estava terminando de arrumar tudo com a Rose e a campainha tocou, fui atender e era a Gabi, mas ela estava acompanhada do Gil
Clara: oi - disse olhando pra eles
Gabi: o Gil veio de curioso tá, eu falei pra não vir - eu ri, minha amiga é muito sincerona
Clara: não tem problema - disse rindo e cumprimentei eles
Gil: aí, a Clarinha é firmeza - rimos e eles entraram
Gabi: quer ajuda em alguma coisa?
Clara: não, a Rose só tá terminando de preparar uns petiscos lá na cozinha - eles sentaram no sofá - vocês ficam aí enquanto eu tomo um banho rápido?
Gil: de boa, tem uma gelada aí? - eu ri
Clara: tem, pega lá com a Rose - ele levantou e foi pra cozinha enquanto a Gabi revirava os olhos - vou lá
Gabi: vai, porque eu quero saber o motivo dessa reunião de emergência
Clara: tenha calma - disse indo pro meu quarto. 
[...]
Assim que o Gustavo e o Gui chegaram (eram os únicos que faltavam), eu pedi pra todos se sentarem ali na sala e fiquei de pé.
Gui: é coisa séria?
Clara: é, mas é importante pra mim - eles me olhavam atentos - eu não chamei todo mundo porque é uma coisa que, pelo menos por enquanto, eu não quero expor pra tanta gente, eu chamei vocês porque de certa forma, todo mundo aqui me ajudou de alguma maneira depois do que aconteceu - eles assentiram
Rafa: fala logo, tô nervosa já
Gabi: eu também - eu ri
Clara: então gente, meus pais já sabem e o Di também - o olhei e ele sorriu - essa semana eu recebi uma carta da FIFA e, era um convite pra eu participar da escola de árbitros deles, me ofereceram uma bolsa
Nadine: ai que benção e você aceitou?
Clara: aceitei - assenti sorrindo
Vó Glória: mas minha filha, isso é maravilhoso pra você, porque não quer que todos saibam? - minha mãe já estava chorando
Thiago: é, verdade, por que isso?
Clara: porque essa escola fica em Los Angeles - escorreram algumas lágrimas pelo meu rosto
Gabi: como assim cara? - disse com a voz embargada - você vai ficar longe da gente então? - eu assenti chorando
Gu: quanto tempo é isso?
Clara: a bolsa é de seis meses - disse secando meu rosto
Vô Marcelo: é o que você quer mesmo? - eu assenti sorrindo
Clara: eu preciso disso - a Nadine sorriu
Gui: mano, como eu vou ficar sem você de novo? - eu ri fraco
Clara: vocês podem ir me visitar né
Thiago: não mano, você não pode Maria, não quero você longe
Tia Carla: filho, não seja egoísta, é o sonho dela, ela não vai ficar lá pra sempre
Tio Alex: você podia levar ele junto né, dar um descanso pra gente - rimos
Carla: eu aceito - ri
Diego: se é bom pra você, não tem porque não ir né - eu sorri
Rafa: eu vou sentir sua falta, mas é o melhor pra você, então tá valendo - sorriu
Gil: eu achei que ia vir aqui pra receber uma notícia menos radical - rimos
Clara: então gente, eu só chamei vocês aqui, porque eu queria pedir, principalmente pra tia Na, pra Rafa, o Gil, Gui e o Gu, pra que não comentem nada com o Júnior, pelo menos não até eu ir pra lá, por favor
Nadine: pode ficar tranquila minha filha, ele não vai saber de nada
Rafa: é, de mim ele não vai ouvir isso também - eu sorri
Gui: eu não preciso nem falar né
Gu: pra mim vai ser difícil, mas eu faço isso por você
Gil: eu nem estive aqui - levantou as mãos e rimos. Ficamos ali conversando e mais tarde pedimos pizza. A Gabi veio falar comigo, junto com a Rafa, querendo saber se essa minha decisão tinha algo a ver com tudo o que aconteceu e, eu disse que, de certa forma, sim. Elas super me entenderam e me deram o maior apoio, assim como todos que estavam aqui.

Segunda-feira, 5 de setembro de 2016
Hoje é o dia de eu ir pros Estados Unidos, mais precisamente, pra Los Angeles.
Sábado rolou uma baladinha com as meninas pra nos despedirmos, a Dani e a Bianca também foram, já que resolvi contar a elas também, afinal, iria me ausentar por um bom tempo dos rolês que dávamos juntas. Meus pais dormiram aqui em casa ontem, pra poderem se despedir de mim no aeroporto.
Preciso contar a vocês que, na nossa despedida, acabei passando um pouco mal e a Gabi disse que eu poderia estar grávida. Loucura né?! é! Mas pra tirar a dúvida, comprei um teste de farmácia, só pra confirmar que não estou. Na verdade eu não tenho tanta certeza assim e não sei se quero fazer. Eu tenho medo e isso envolve muita coisa
Marcela: filha, tá pronta? já tá quase na hora de irmos pro aeroporto - disse entrando ali no quarto e me despertando dos meus pensamentos
Clara: t-tô - guardei o teste na minha bolsa - só deixa eu pegar meu celular e o carregador - levantei da cama, tirei meu carregador da tomada, desconectei do meu celular, guardei os dois na bolsa, peguei a mesma e como minhas malas já estavam todas na sala, descemos, encontrando meu pai ali - bora, véio? - ele me olhou e levantou, olhei no relógio e já passava das 10h
Marcos: tudo pronto? já coloquei suas malas no carro
Clara: tudo certo
Marcela: pegou seu passaporte?
Clara: peguei tudo mamis, vamos?
Marcela: vamos - pegou suas coisas, meu pai pegou a chave do carro e saímos de casa. Entramos no carro, meu pai deu partida e fomos pro aeroporto.
Me despedir deles foi muito ruim, mas era algo necessário na minha vida. Abracei os dois, que me deram mil e uma recomendações e parti depois da ultima chamada para o meu voo, que seria um tanto quanto longo.

Júnior on.
Acordei depois das 10h e confesso que poderia ter dormido mais, porque a festinha aqui no Guaru rendeu, claro que sem fazer nenhum alarde, não sou besta. Só levantei da cama porque não conseguia mais dormir. Fiz minhas higienes, tomei meu banho e depois desci pra comer alguma coisa. Os meninos (Gil, Gustavo e Gui) estavam ali na cozinha e pararam de falar quando eu entrei. Estão meio estranhos desde semana passada, assim como minha mãe e minha irmã.
Júnior: pararam de falar por que? - me sentei ao lado do Gu
Gui: porque o assunto chegou - riram e tentaram fazer parecer brincadeira, mas eu suspeito que não seja
Júnior: sei - coloquei suco no meu copo - a Gabi dormiu aí? - disse olhando pro Gil
Gil: ah, dormiu sim - riu - foi embora ontem ainda, cê acha que ela ia ficar aqui? tá morrendo de raiva de você
Júnior: você nem pra limpar minha barra mano - os meninos riram
Gu: como ele vai limpar sua barra, se ninguém sabe o que aconteceu? - eu fiquei quieto
Júnior: vocês são chatos pra caralho - comi um pão de queijo e o Jota entrou ali
Jota: bom dia senhores - deu um toque na mão de cada um de nós e se sentou - qual a boa de hoje?
Gui: a boa de hoje é trabalhar - rimos e meu celular vibrou. Olhei a tela e meu sorriso se desfez, dando espaço pra raiva. Abri a mensagem e li
Tá liberado jogador
Corre atrás kkkkkk
Fica tranquilo que tá tudo limpo
Mas acho que não vai ser tão fácil
Eu nem respondi, só tirei print, apaguei a conversa, saí do whats, bloqueei a tela e coloquei meu celular em cima da mesa
Gu: qual foi, ene jota? - eles me olharam
Júnior: nada não - me levantei pegando meu celular - preciso ir pra São Paulo - fui saindo
Jota: ei - o olhei - vai fazer o que lá?
Júnior: não enche, Jota 
Gil: vai sozinho, sem o Big?
Júnior: não vou precisar dele - saí dali e subi as escadas, indo pro meu quarto. Entrei lá, coloquei uma bermuda, peguei uma camiseta qualquer, peguei a chave do meu carro, meus documentos e saí dali. Desci, passei pela sala e nem me despedi de ninguém. 
[...]
Demorei quase duas horas pra chegar na capital, porque o trânsito estava um inferno. Cheguei no prédio da Clara e como eu nunca vinha aqui com esse carro, tive que abaixar o vidro pro seo Joaquim ver que era eu. Feito isso, ele abriu o portão da garagem e eu entrei com o carro. Estacionei e vi que o carro dela estava ali, pelo menos valeu a pena enfrentar esse trânsito né. Saí do carro, alarmei o mesmo, peguei o elevador e subi. Desci no andar dela e toquei a campainha. Demorou um pouco e quem atendeu foi a Marcela 
Marcela: Juninho?! - disse surpresa e eu dei um sorriso fraco
Júnior: eu mesmo - cocei a cabeça - posso entrar?
Marcela: claro, desculpa - deu uma risadinha - entra - me deu espaço, eu entrei e ela fechou a porta - quase que você perde a viagem, tô aqui só porque o Marcos foi na empresa do Alex buscar uns papéis - se sentou no sofá e eu me sentei também. Saudade desse apartamento com o cheiro dela
Júnior: mas e a Clara, não tá aí? - ela me olhou tensa
Marcela: não, não tá - sorriu de canto
Júnior: será que ela demora pra voltar?
Marcela: pelo menos uns seis meses - eu ri e ela continuou do mesmo jeito
Júnior: como assim? - parei de rir quando percebi ela ficando nervosa
Marcela: a Clara... ela foi embora, foi pros Estados Unidos - na hora que eu ouvi isso, parecia que tinha ficado sem chão. Quando eu achei que tudo ia se resolver, vem isso pra acabar com a minha esperança
Júnior: mas por que? foi por minha causa? por que ninguém me falou nada? ela foi quando?
Marcela: calma, você pisou na bola com ela e sabe disso - eu assenti já com lágrimas nos olhos - mas não foi por culpa sua, ela foi hoje e foi porque recebeu uma bolsa de estudos da escola de árbitros da FIFA. Você não ficou sabendo porque ela pediu pra que isso não chegasse até você - disse meio triste - a essa hora ela já está no avião e com certeza dormindo - riu fraco e eu sorri, deixando algumas lágrimas caírem - você veio aqui pra falar com ela? - eu assenti - então foi melhor assim né, vocês iam acabar brigando de novo
Júnior: não, não foi, a gente não ia brigar - sequei meu rosto - eu vim pra contar tudo pra ela, eu ia dizer o por que de eu ter feito tudo aquilo - voltei a chorar - pelo menos eu fiz o certo
Marcela: como assim?
Júnior: eu vou te contar
Júnior off.

Cheguei no Aeroporto Internacional de Los Angeles já passava das oito da noite no horário daqui. Encontrei um rapaz que segurava a placa com o meu nome, ele se chama Brian, deve ter um pouco menos de 30 anos. Me apresentei e pra minha surpresa e alivio, ele falava português. Com muito sotaque, mas já me ajudava, pelo fato de eu falar o básico do inglês. Ele me disse que teríamos que esperar outra garota, que viria do Rio de Janeiro. Ficamos um tempo conversando e ele me disse que mora com sua mãe e seu irmão, pelo menos enquanto reforma sua casa, a qual vai morar com sua noiva a partir do ano que vem
Brian: minha mãe tem uma marca de lingeries, se ela te conhecer, pode ter certeza de que vai te convidar pra fotografar pra ela - sorriu e eu ri sem graça
Clara: que isso, não sou boa nessas coisas - rimos
Brian: é bem fácil - olhou no celular - quando eu comecei a namorar com a minha noiva, minha mãe não parava de pedir a ela pra fotografar, parecia até perseguição - eu ri - é verdade - riu também - eu não gosto muito, quem foi pra esse ramo de fotografar é meu irmão, é modelo e sempre tira umas fotos pros catálogos da mamãe - eu sorri por vê-lo falar assim - chegou outro voo - olhou as placas em sua mão e levantou uma escrito Luana Collins. Logo vi uma moça morena se aproximando - Luana é você? - disse a olhando
Luana: sou eu sim, você é?
Brian: Brian, Brian Hogue - apertou a mão dela e deu um beijo na bochecha, assim como fez comigo 
Luana: prazer - sorriu
Brian: essa é a Maria Clara e provavelmente deve ser sua companheira de apartamento na cidade universitária. Eu que vou levá-las até lá e estarei a disposição de vocês enquanto estiverem aqui.
Luana: oi Maria Clara, prazer - sorriu pra mim e me cumprimentou com dois beijos na bochecha
Clara: prazer, mas pode me chamar de Clara - sorri - ou só de Maria
Luana: vou te chamar de Maria então, amo esse nome - rimos
Clara: como quiser
Brian: eu prefiro chamar de Bertolli e você - apontou pra Luana - de Collins
Luana: não vejo problema algum - rimos
Brian: podemos ir?
Luana: por favor, estou morrendo de sono
Clara: não dormiu no voo?
Luana: não consigo - fomos caminhando pra fora do aeroporto
Clara: ah, eu consigo muito - rimos
Brian: ali está o carro - apontou e fomos em direção a ele
Luana: a cidade universitária é muito longe daqui? - o Brian desalarmou o carro
Brian: cerca de trinta minutos - guardou nossas malas e entramos no banco de trás - uma de vocês poderia vir na frente, não gosto de ser literalmente o motorista - nós duas nos olhamos e rimos, eu neguei com a cabeça
Luana: tá, eu vou - passou para o banco da frente sem sair do carro e eu ri
Clara: agora podemos ir? - ele riu
Brian: mas é claro - deu partida e saiu dali
Luana: como você fala tão bem o português?
Brian: necessidade né, trabalho com isso, preciso saber falar outras linguas
Clara: na sua família só você fala português?
Brian: não, nós todos falamos, até porque, minha mãe namorou por três anos com um brasileiro, tínhamos que aprender, pelo bem da boa comunicação - rimos. Fomos o caminho inteiro conversando e eu agradeci a Deus por ter colocado esses dois no meu caminho, parecem ser super gente boa e fácil de lidar. Pra quem vai ficar seis meses aqui, isso é importante né. Chegamos na cidade universitária e aquilo era enorme e lindo. Ele parou na frente de um mini prédio, com uns quatro ou cinco andares, assim como os outros que haviam ali em volta - bom, é aqui que vocês vão ficar - saímos do carro - vamos entrando, depois eu subo com as malas de vocês - assentimos e fomos entrando, ele pegou o celular dele, falou com a moça na recepção/portaria, não sei como devo chamar, é tudo muito sofisticado. Nós apresentamos nossos documentos e também pegamos as chaves do nosso apartamento. Brian olhou o celular e nos disse que ficaríamos no terceiro andar, apartamento B12. Subimos de elevador (sim, de elevador!), descemos no terceiro andar e a Luana já foi abrir a porta. Aquilo era maravilhoso, a sala, apesar de pequena, era linda
Clara: já amei aqui - rimos
Luana: eu vou amar quando conhecer o meu quarto - o Brian riu
Brian: bom, como vocês estão vendo, essa é a sala - fomos andando e olhando - aqui é a cozinha - nos mostrou e eu já fiquei apaixonada - é tudo muito compacto e pequeno, mas é aconchegante - eu assenti - a lavanderia é agregada a cozinha, como vocês estão vendo e tem a secadora, já que aqui não tem varanda né. Vou mostrar os quartos pra vocês - foi andando e nós íamos o seguindo - esse é o banheiro, o único que tem, já que os quartos não são suítes
Luana: já é melhor que o do meu apartamento - eu ri
Brian: aqui ficam os quartos - abriu a porta de um
Clara: ai, esse pode ser meu? - olhei pra Luana
Luana: fique a vontade - riu - cadê o meu? - Brian riu e fomos saindo do meu quarto
Brian: aqui - abriu a porta do outro e era quase a mesma coisa que o meu
Luana: finalmente, meu lugar de paz - eu ri - minha cara
Brian: então meninas, é isso - disse enquanto voltávamos pra sala - é aqui que vocês vão ficar durante esses seis meses
Clara: eu gostei bastante
Luana: eu também gostei
Brian: se vocês não souberem ou não gostarem de cozinhar, eles disponibilizam uma funcionária pra vir fazer isso por vocês
Clara: eu sou independente, fica tranquilo, cozinhar é o de menos - ele riu
Luana: eu também sei, então dá pra revezar - eu assenti
Brian: vou lá pegar as malas de vocês então - nós assentimos
Clara: não quer ajuda?
Brian: não precisa, tem uns rapazes lá embaixo que podem fazer isso - sorriu - com licença - saiu do apartamento e eu me sentei no sofá, junto com a Luana. O Brian voltou com um rapaz e eles colocaram nossas malas ali. Ele nos deu mais algumas instruções e disse que amanhã nos levaria pra conhecer a cidade, nós concordamos, nos despedimos e ele foi embora depois de pegar nossos contatos. A Luana disse que iria tomar um banho pra ir dormir, então liguei a tv e como estava passando a programação local, peguei meu celular e aproveitei pra avisar minha mãe de que estava tudo bem. Liguei, chamou algumas vezes e ela atendeu
Início
Marcela: oi filha
Clara: oi, tá tudo bem viu, cheguei faz quase uma hora, foi tudo tranquilo e já estou no apartamento 
Marcela: ai que bom, está sozinha aí?
Clara: não, vou dividir com outra menina
Marcela: mais velha? gostou dela?
Clara: deve ter a minha idade, gostei, ela é bem louquinha, tipo a Gabi - rimos - o pai tá bem?
Marcela: tá, já está dormindo, amanhã tem uma reunião com o Alex, pra falar da parceria das empresas
Clara: ai que bom... que horas são aí?
Marcela: mais de uma da manhã
Clara: nossa, aqui não é nem dez ainda
Marcela: ainda bem que você se acostuma fácil com fuso horário né
Clara: graças a Deus - ri - bom mãe, então vou desligar pra você dormir
Marcela: Clara, espera
Clara: pode falar
Marcela: é... depois que a gente te deixou no aeroporto, seu pai me deixou na sua casa, pra ir conversar com o teu tio
Clara: não tem problema né mãe - ri
Marcela: o Juninho foi lá - na hora que ouvi isso, meu coração parecia que ia sair pela boca
Clara: eu não quero saber mãe
Marcela: calma, ele foi pra dizer o que ac - a interrompi
Clara: mãe, é sério, eu não quero saber de nada dele, de verdade
Marcela: tá - respirou fundo - eu disse pra ele que você foi pros Estados Unidos
Clara: tá, não tem problema, só não fala exatamente onde eu tô
Marcela: tudo bem, como você quiser
Clara: agora vou desligar tá
Marcela: tá bom meu amor, fica com Deus e se cuida aí
Clara: pode deixar, fica com Ele também, manda um beijo pro pai
Marcela: mandarei, beijo
Clara: beijo, amo vocês
Marcela: te amamos também
Fim
Luana: Maria - disse entrando na sala e eu a olhei - já pode ir tomar seu banho - se jogou no sofá
Clara: vou lá
Luana: vai rápido, a gente precisa conversar pra se conhecer mais né
Clara: com toda certeza - ri
Luana: se bem que, nós teremos seis meses pra isso - rimos - vai logo
Clara: fui - levantei e corri pro quarto. Separei uma roupa na mala e fui pro banheiro. Tomei um banho rápido, me sequei e me vesti. Mandei mensagem pra Gabi e pra Rafa, mesmo sabendo que elas estavam dormindo e voltei pra sala - pronto, podemos nos conhecer - sentei ao seu lado e ela riu
Luana: então, me conta mais de você - eu comecei a contar sobre minha vida e mesmo sem eu precisar falar, ela ligou os fatos e percebeu que eu era a bandeirinha que namorou o Neymar. Não contei pra ela sobre o que aconteceu, até por que, conheci a menina não faz nem quatro horas né. Ela me contou da vida dela, disse que tem 26 anos e tem sido auxiliar a 3, quase a mesma coisa que eu. Disse que seu pai é de Miami e sua mãe é do Rio de Janeiro, porém, eles moram aqui nos EUA e ela ficou no RJ com seus avós. Conversamos pra caramba e posso dizer que encontrei uma parceira top pra esses seis meses. Quando olhamos o relógio, já passava de meia noite
Clara: Luana, eu tô morrendo de fome - ela me olhou
Luana: eu também - passou a mão na barriga e eu ri - será que tem comida aí?
Clara: deve ter né, eles não iam nos deixar sem nada aqui - levantei - vamos lá ver - ela levantou também
Luana: eu me contento com besteira, não precisa nem ser comida
Clara: até porque, tá bem tarde pra cozinhar algo né - rimos entrando na cozinha e ela abriu um dos armários
Luana: Maria, achei batata
Clara: achei aqui também, mas congelada - disse depois de ver na geladeira e balancei o pacote pra ela
Luana: batata e batata frita? - me olhou pensativa
Clara: quero
Luana: queremos - rimos, ela pegou o pote de Pringles que tinha ali, eu tirei a batata do freezer e fomos procurar as coisas pra poder fritar ela. 
Clara: tem coca aí também
Luana: profissionais da Educação Física se empanturrando de gordura, só temos aqui - rimos. Terminamos de fritar a batata, levamos tudo pra sala e comemos enquanto conversávamos mais um pouco. Quando foi umas 2h30 da manhã, decidimos ir dormir. Nos despedimos e fomos cada uma pro seu quarto. Eu ainda fiquei pensando nessa história de gravidez e acho que vou esperar, até porque, minha menstruação sempre foi desregulado, então não vou me precipitar.
Coloquei isso na minha cabeça e finalmente consegui dormir.




Mais um capítulo pra vocês!!
Era pra eu ter escrito e postado semana passada, mas meu avô acabou falecendo e eu fiquei sem cabeça pra nada. Depois fiquei atolada de coisas pra fazer e não tive tempo, já que também estou tendo que cuidar dos meus sobrinhos.
Consegui postar hoje porque não tava aguentando minha própria demora.
Agora já passa de meia noite e eu acordo antes das 6h, então façam valer meu esforço, por favor. Comentem e deem opiniões, interajam comigo.
Tô merecendo né?!
Beijos e obrigada pelos comentários.






sábado, 2 de setembro de 2017

Capítulo 61 - É preciso saber a hora de ir embora

LEIAM O RECADO NO FINAL

Júnior on
Acordei no domingo com a maior dor de cabeça, olhei as horas e já era quase 11h. Levantei da cama com muita dificuldade, olhei pra cama do lado e o Jesus ainda dormia (sim, acabei ficando aqui no hotel mesmo). Fui no banheiro ali, fiz minhas higienes, tomei um banho, me arrumei, peguei o celular e mandei mensagem no grupo pros meninos me encontrarem no Porcão pra almoçar. Avisei o Big que iria sair e ele disse que viria me pegar.
Arrumei minhas coisas, deixei uma mensagem pro Gabriel e saí do quarto. Queria ir no hotel dos meninos, pra tentar conversar com a Clara, mas é melhor esperar né, ela ainda está muito chateada comigo.
[...]
O Big chegou e fomos pro Porcão, cheguei lá e os meninos já estavam
Júnior: eae - cumprimentei eles e o Big fez o mesmo
Jota: e aí, menino de ouro - rimos e nos sentamos
Júnior: cadê as meninas? - disse olhando pro Gil
Gil: foram pro shopping - óbvio que a Clara ia pra outro lugar com elas né
Júnior: e o Gustavo, ficou dormindo?
Gui: ele sumiu, bati lá no quarto dele e não tinha ninguém
Cris: deve estar com alguma novinha por aí - rimos
Júnior: depois daqui eu vou pra final do vôlei com o Thiaguinho, o Zulu, o Huck e a Fe, bora?
Jota: eu vou né
Gui: vai dar não Juninho, nosso voo já tá marcado pras três - o Gu chegou ali - alá, apareceu o pegador - rimos e ele se sentou do lado do Jota
Gu: pegador por que? - riu depois de nos cumprimentar
Gil: tava aonde até agora? - riu
Gu: vocês viajam né - riu - eu fui levar a Clara no aeroporto - eu o olhei
Júnior: como assim? ela não está com as meninas?
Gu: claro que não, ela pegou o voo das dez, peguei o carro do Biel e levei ela, por isso demorei, levei o carro de volta e vim pra cá
Júnior: por que você não me avisou? eu queria falar com ela
Gu: eu nem sabia que ela ia embora, fui no quarto dela pra pedir desculpa por ontem e ela disse que ia embora, porque ia pra casa do Marcão
Gui: e vamos combinar que você não tem que ir atrás dela agora né - disse me olhando
Gil: por falar nisso, pode contar pra gente o por que de tudo aquilo ontem. Você já tava com a Bruna? - o garçom chegou ali e fizemos os pedidos, ele saiu e os meninos voltaram a me olhar
Jota: solta a voz
Júnior: tenho nada pra falar e não tenho nada com a Bruna - o Gui riu - qual foi Gui
Gui: nada, só que eu não faria tudo aquilo com alguém que não tem nada comigo
Júnior: faria pra Clara
Gui: mas não faria pra alguém que nem amiga é
Jùnior: é, mas eu fiz e ela é minha amiga sim
Gu: eu nem falo mais nada, cada um com seus problemas e as consequências deles né - consegui fugir desse assunto e apesar deles estarem nitidamente putos comigo, deu pra almoçar num clima tranquilo. Depois de pagar tudo, eu e o Jota nos despedimos deles e pedi pro Big nos levar pro Maracanãzinho. Chegamos lá e o Thiago já estava com a Fe, o Luciano Huck e o Zulu. Falei com eles, me sentei ao lado do Zulu e do Jota e um pouco depois do jogo começar, a Bruna chegou ali. Que merda! Ela nos cumprimentou e sentou do lado da Fernanda. Agora que a Clara não vai acreditar mesmo que eu não tenho nada com ela
Jota: tu ainda diz que não tem nada mano? - riu - tu vacila demais Juninho
Júnior: cala a boca Jota, já falei que não tenho porra nenhuma com ela - disse nervoso
Jota: imagina se tivesse - falou disfarçadamente e comemorou o ponto do Brasil
Júnior off

Depois de almoçar com os meus pais, ajudei minha mãe e a Dora na cozinha e fomos pra sala, ver os ultimos resultados dos jogos olímpicos. Sentei no sofá do lado da minha mãe e já tinha começado a final do vôlei masculino. Estávamos torcendo e vibrando por cada ponto, até que quando eles fizeram o último ponto do primeiro set, mostrou o Jota, Neymar, Rafael Zulu, Thiaguinho, Fernanda Souza, Luciano Huck e... a Bruna lá no Maracanãzinho, todos juntos

Clara: é, pelo jeito a coisa tá séria mesmo né - minha mãe mudou de canal - coloca lá mãe
Marcela: não quero ver você assim - disse me olhando e meu pai continuava quieto
Clara: assim como? eu tô bem, depois do que eu vi ontem, nada mais me abala
Marcos: eu até acreditaria, se não te conhecesse tão bem - eu o olhei e sorri
Clara: é sério, isso não é nada - olhei pra minha mãe - volta lá - ela pegou o controle novamente e colocou no jogo de novo. Assistimos até o final e comemoramos mais um ouro.
[...]
Resolvemos jantar fora e quando voltamos, eu subi direto pro meu quarto, tomei um banho e fui dormir.
Acordei na segunda com o despertador tocando as 7h30, porque como estamos aumentando as franquias da Smart, combinei de dar uma força pro Di lá na academia. Tomei um banho rápido, me vesti, desci e meu pai estava ali na cozinha tomando café sozinho
Clara: bom dia papi - dei um beijo nele e me sentei
Marcos: bom dia filha - eu peguei uma torrada
Clara: cadê a mãe?
Marcos: foi comprar presente pro Davi
Clara: você vai pra empresa hoje?
Marcos: alguém tem que trabalhar né
Clara: ih, eu também vou, tá - ele riu
Dora: bom dia Clarinha - disse entrando na cozinha 
Clara: bom dia meu amor - sorri. Terminei de tomar café ali com o meu pai e parti pra Santos. Cheguei na academia depois de quase uma hora. Estacionei o carro lá fora e entrei, já encontrando o Diego orientando uma aluna ali
Diego: chegou a chefinha - eu ri e o cumprimentei
Clara: eu falei que viria - rimos - oi - falei com a menina, que me respondeu - só vou fazer uns 30 minutos de esteira e vou lá pra sala
Diego: você que manda - riu e eu revirei os olhos
Clara: vou me trocar - fui pro vestiário, me troquei e fui pra área de aeróbio. Programei a esteira e comecei na leve, fiz cinco minutos e aumentei pra 6.5km/h, dando um trotezinho. Quando estava chegando nos 15 minutos, comecei a ficar tonta e parei a esteira
Diego: ih, o que foi? jé tá amarelando?
Clara: não - coloquei a mão na cabeça - me deu uma tontura do nada - tomei um pouco da minha água
Diego: tu não veio pra cá sem comer né Maria
Clara: ai, Claro que não né e para de me chamar de Maria, isso deve ser porque eu fiquei muito tempo parada
Diego: então diminui a velocidade né, deixa teu corpo acostumar
Clara: eu sei né - liguei a esteira de novo e voltei só na caminhada. Depois de fazer os 30 minutos, tomei um banho lá no vestiário, me troquei e fui pra minha sala. Uns dez minutos depois o Diego entrou. Resolvemos algumas coisas pendentes e quando eu estava guardando minhas coisas pra ir embora, a Mirella entrou ali, com um envelope na mão
Mirella: Clara, é pra você - me entregou e quando eu li, meu coração disparou, era uma carta da Escola de Arbitros da FIFA
Clara: obrigada Mi - ela sorriu e saiu da sala - Diego, olha isso - mostrei pra ele
Diego: eita porra, o que será que é?
Clara: tenho até medo - disse abrindo o envelope - meu Deus, coloquei a mão na boca
Diego: e aí, o que está escrito?
Clara: calma - comecei a ler pra ele - "Senhora Maria Clara Fonseca Bertolli, você está sendo convidada pela FIFA (Fédération Internationale de Futball Association), a desfrutar, por seis meses, de uma bolsa de estudos do Curso Para Árbitros e Assistentes de Futebol, na Escola de Árbitros de Futebol de Los Angeles. É com muito prazer que oficializamos esse convite, para que você tenha a chance de fazer parte do nosso time em um futuro próximo." - olhei mais embaixo e tinham algumas informações
Diego: meu, olha onde você chegou - sorriu me olhando e eu sorri de volta, ainda sem acreditar - você vai aceitar né?!
Clara: cara, eu eu não sei - fechei o envelope - eu ainda não acredito - ele riu - eu preciso falar com os meus pais
Diego: pensa com calma, eu acho que vai ser bom pra você e tenho certeza que eles vão te apoiar nisso
Clara: é. eu vou fazer isso - me levantei - agora eu vou embora - guardei o envelope na minha bolsa
Diego: vai com Deus - me deu um abraço - e me avisa sobre o que decidir
Clara: pode deixar, tchau - dei um beijo nele e saí de lá. [...] Cheguei no Guarujá depois de comprar os presentes do Davi (uma coleção de dinossauros que ele ama), guardei o carro na garagem e entrei em casa. Lá pra umas 16h, meu pai chegou em casa e eu me sentei com eles, pra contar sobre o ocorrido de hoje
Marcos: filha, você sabe que eu sempre vou estar do seu lado
Marcela: e eu também, independente da sua decisão
Clara: eu sei, mas eu não sei o que fazer
Marcela: você queria tanto voltar pra arbitragem, filha, lembra que você estava louca pra te chamarem de novo? - eu assenti - então, eu acho que isso vai ser bom pra você
Marcos: você sabe que no começo eu não gostava disso né, mas eu vi que você amava o que fazia, mesmo que isso não fosse uma profissão reconhecida, então eu passei a te admirar e eu acho que você deve ir, imagina, você ter a chance de se tornar uma árbitra do quadro de árbitros da FIFA? - eu sorri o olhando
Clara: eu vou pensar, tenho uma semana ainda, até do dia de ir na CBF pegar os documentos necessários - eles assentiram - mas obrigada por estarem do meu lado - os abracei e eles sorriram
Marcela: agora vamos nos arrumar, porque daqui a pouco tem a festa do Davizinho - eu sorri assentindo
Clara: tô subindo - dei um beijo na bochecha deles e subi pro meu quarto.
[...]
Estava terminando de me arrumar e minha mãe entrou ali no quarto
Marcela: tá pronta, filha?
Clara: quase - coloquei meus brincos - pronto - peguei meu celular - tira uma foto aqui pra mim, mãe - entreguei pra ela, que tirou a foto e me entregou - obrigada - dei um beijo na bochecha dela - deixa só eu postar e já desço
Marcela: tá, vou ver se seu pai terminou e nós já vamos - eu assenti, ela saiu do quarto e eu fui postar minha foto
mclarafbertolli: Tia Clara tá chegando @davilucca_ #DL5anos
Nem olhei os comentários, peguei minhas coisas e saí do quarto, encontrando meus pais ali na sala
Clara: vamos?
Marcos: tá linda hein, vai te gente babando na minha filha hoje - rimos
Clara: menos, pai - ri
Marcela: vamos então - pegou o presente em cima do sofá
Clara: vou sair pela garagem, o presente do Davi ficou no meu carro - saí dali, fui pra garagem e como meu carro já estava destravado, abri a porta, peguei o presente, fechei o carro e saí de lá, encontrando meus pais na rua. - vamos - atravessamos a rua, nos identificamos na portaria do condomínio, nos liberaram e entramos. Fomos até a casa deles e o Big estava ali na porta - oi negão - o cumprimentei
Big: oi Clarinha
Marcos: fala Big, meu parceiro, tudo bem? - rimos e eles se abraçaram
Big: tudo certo Marcão - riu - oi Marcela - a cumprimentou
Marcela: e aí Big
Big: podem entrar, vocês são de casa - eu sorri, ele nos deu espaço e entramos. Passamos pela sala, não tinha ninguém ali, então fomos pro lado de fora, mais precisamente, pra área da piscina, onde já tinha bastante gente. Avistamos a Nadine e fomos até ela
Marcela: oi Na - se cumprimentaram
Nadine: que bom que vocês vieram - disse depois de falar com o meu pai e veio me cumprimentar - fiquei feliz por você ter vindo, mesmo com tudo o que aconteceu 
Clara: o Davi não tem culpa de nada né - sorri e ela assentiu - por falar nele, onde tá? - ela apontou pra piscina e vi o Davi com ele, dentro de uma bola gigante, dentro da piscina, eu quis sorrir vendo aquilo, mas me contive. Desviei o olhar quando o Júnior me viu e percebi a tia chamando o Davi. Olhei pra eles de novo e ele falava alguma coisa no ouvido do filho, que assentia sorrindo. Ele pediu pro rapaz tirar eles dali e isso foi feito, logo vi o Davi vindo correndo na nossa direção
Davi: tia Claraa - me abraçou e eu o peguei no colo
Clara: tudo bem com você, meu amor? - ele assentiu sorrindo
Davi: você viu aquela bola gigante? eu tava dentro dela com o meu pai, é muito legal - eu ri da empolgação dele
Clara: eu vi sim
Davi: depois você vai lá comigo? diz que sim, por favor - eu ri
Clara: eu vou, mas não agora, tudo bem? - ele assentiu - e esse cabelo azul aí - ri pegando uma mecha do cabelo pintado
Davi: é pra combinar com a festa - riu - oi tia Marcela - me aproximei dela e ele deu um beijo em sua bochecha
Marcela: tudo bem Davi?
Davi: tudo - olhou pro meu pai - oi tio Marcos
Marcos: e aí Davizão - riu - tranquilo?
Davi: aham - tocou na mão dele - tio Marcos, eu ganhei uma camisa nova do Santos - meu pai sempre fica falando sobre o Santos quando vê o Davi e isso o deixa empolgado
Marcos: sério? - ele assentiu - e quem te deu?
Davi: meu tio João, depois eu vou te levar no meu quarto pra mostrar
Marcos: beleza então - eu sorri e a Carol chegou ali, alguém chamou a Nadine e ela saiu de lá
Carol: achei você - fez cócegas nele, que gargalhou - oi Clarinha - me deu um beijo e um abraço e fez o mesmo com os meus pais - chegaram faz muito tempo?
Marcela: não tem dez minutos e antes que eu me esqueça, toma Davi - o entregou o presente
Davi: obrigado tia - eu o coloquei no chão - depois eu abro tá, porque minha mãe não deixa eu abrir agora, senão eu vou perder - eu sorri
Carol: agradece o tio Marcos também, né filho
Davi: obrigado tio Marcos - meu pai deu mais um toque na mão dele
Clara: agora o meu né - entreguei pra ele
Davi: eita, eu tô cheio de presente - rimos - obrigado tia Clara - me deu um beijo
Carol: agora vamos lá guardar os presentes
Davi: calma, olha o meu pai ali - disse quando o Júnior passou pela piscina - PAI - ele o olhou - vem aqui, olha meus presentes - vi ele vindo na nossa direção e meu coração parecia que ia sair pela boca. Eu queria sair dali, mas seria muita infantilidade minha
Júnior: oi filho, peraí - olhou pro meu pai - e aí Marcão - deu uns toques e um abraço no meu pai
Marcos: e aí moleque - sorriu - parabéns pelo ouro lá hein - o Júnior deu uma risada sem graça, certamente porque lembrou da ceninha que o mundo todo viu
Júnior: valeu - sorriu - e aí Ma - fez o mesmo com a minha mãe
Marcela: tudo bem, Juninho?
Júnior: tudo bem
Davi: pai e a tia Clara, você não vai falar com ela? - eu fiquei tensa
Carol: filho, vamos lá guardar os presentes - obrigada Carol
Davi: tá - deu de ombros - pai, depois eu te mostro
Júnior: tá bom filho, vai lá - a Carol saiu dali com ele
Gabi: metadee - chegou ali me abraçando - oi tia, ou tio - deu um beijo neles - vamos lá com as meninas - foi me puxando
Clara: você sempre me salva cara, porque não veio antes?
Gabi: porque eu cheguei agora e a Carol me falou que você tava lá e ele junto
Clara: e por que você não falou com ele?
Gabi: deve ser porque eu não tô falando com ele né
Clara: ah, não Gabriela
Gabi: ali as meninas - fugiu do assunto e fomos pra onde estava a Rafa, a Dani com o Be e a Thaiany com a Manu
Clara: oláa - ri e cumprimentei elas
Rafa: demorou hein querida
Dani: eu achei que você não vinha
Clara: bem capaz - rimos - oi Manu - peguei a mãozinha dela, que sorriu - e aí Thai
Thaiany: e aí Clara - rimos
Clara: vem com a tia, Be - o peguei no colo - ele tá enorme, Dani
Dani: tá, enorme e esperto - riu e a Carol chegou ali
Clara: chegou a primeira das minhas heroínas - rimos
Rafa: por que? - nós contamos pra elas - esse Davi só coloca a gente em roubada - riu - mas você tá de boa né?! - eu assenti
Carol: se não fosse eu, o Davi ia obrigar vocês a se falarem
Gui: chega e não fala com os amigos, legal hein - disse chegando ali e eu me levantei, o abraçando logo em seguida - perdi espaço pro Bernardo mesmo
Clara: ah, cala a boca Guilherme - rimos e ele cumprimentou a Gabi também - cadê o resto dos meninos?
Gui: estão por aí - sentou do lado da Dani - posso ficar aqui ou já tá formado o clube da Luluzinha? - eu ri
Dani: pode ficar amor, por enquanto o assunto tá liberado pra você - rimos e ele a olhou estranho
Gui: não quero você falando de homem não - eu gargalhei
Clara: falar não dá nada, meu amor - ele me olhou e eu mandei beijo
Gui: vai levar minha mulher pro mau caminho
Clara: nossa Guilherme, assim você me ofende - a Dani riu
Dani: não sei quem é o mais dramático - rimos
Carol: quem quer fazer o favor de pegar meu celular?
Gabi: onde tá?  - a Carol riu
Carol: no quarto do Davi
Rafa: você não quer um cafézinho também não? - rimos e a Carol me olhou
Clara: eu só vou porque você me salvou hoje - levantei - e o favor já vai estar pago - ri
Carol: por isso que eu te amo - eu revirei os olhos e fui indo lá pra dentro. No caminho ainda encontrei o tio Neymar, falei com ele e fui lá pra dentro. Subi as escadas, fui pro quarto do Davi, fechei a porta, peguei o celular e quando ia sair do quarto, vi a porta abrindo, olhei e era quem eu menos queria que fosse. Sim, o Júnior. A vida só pode estar de brincadeira com a minha cara. Meu coração disparou e eu pensei que ia cair dura ali mesmo. Fui passar por ele pra sair do quarto, mas ele segurou meu braço, mais uma vez.
Clara: por favor, eu tô cansada disso, me deixa passar, eu não quero falar com você
Júnior: só me escuta, eu quero esclarecer as coisas - eu respirei fundo
Clara: eu vou te escutar, mas depois disso você vai me deixar em paz e nunca mais vai nem sequer olhar na minha cara
Júnior: t-tá, como você quiser - eu olhei pro meu braço e ele me soltou
Clara: fala logo - eu queria saber o por que de tudo, mesmo que fosse doer e eu estava decidida a não chorar
Júnior: eu sei que eu te machuquei e - o interrompi
Clara: todo mundo sabe que você me machucou e eu digo todo mundo literalmente
Júnior: deixa eu falar - eu respirei fundo - mesmo com tudo o que você viu lá, eu só quero deixar claro que eu não tenho nada com a Bruna - eu ri
Clara: eu é que tenho né, claro
Júnior: eu tô falando sério, ela é minha amiga
Clara: eu não quero saber Neymar, não quero explicação da sua vida, eu só quero saber se você acha que eu merecia tudo o que você fez. Tudo o que você me falou lá em Goiânia e o que fez no Rio de Janeiro - fiquei o olhando e já me veio uma vontade absurda de chorar
Júnior: não, é claro que não - tentou se aproximar de mim, mas eu me afastei
Clara: e por que fez? - falei mais baixo ou iria começar a chorar
Júnior: eu precisei, eu juro que eu não queria, eu juro
Clara: QUEM NÃO QUER, NÃO FAZ - acabei gritando e passei a mão no rosto - não dá, não vai dar certo isso, me deixa passar
Júnior: você sabe que eu te amo - eu ri
Clara: eu sei? o que eu sei é que eu fui feita de trouxa duas vezes na minha vida
Júnior: Clara...
Clara: o que você ganha me fazendo sofrer assim? - os olhos dele estavam vermelhos - pra que vir atrás de mim e me deixar na pior? o que eu te fiz
Júnior: um dia você vai me entender e - eu o interrompi de novo
Clara: não Neymar, eu não vou entender e sabe por que? porque eu não quero entender e eu não vou querer entender, eu só quero nunca mais te ver
Júnior: não fala assim por favor, eu te amo
Clara: PARA DE DIZER QUE ME AMA, PARA! QUEM AMA NÃO FAZ O QUE VOCÊ FEZ, POR NADA NO MUNDO! - me deu uma tontura, eu me segurei na comoda e coloquei a outra mão na cabeça
Júnior: o que foi, você tá bem? - colocou a mão no meu braço e eu me soltei
Clara: me deixa - fui voltando ao normal
Júnior: me perdoa - eu não aguentei e comecei a chorar
Clara: perdoar por que? por você ter me usado por mais de dois anos e ter voltado pra pessoa que você gosta? me deixa em paz Júnior, por favor, me deixa em paz!
Júnior: acredita em mim, eu não tô com ela, por favor, acredita em mim - a essa altura já não era possível saber quem estava chorando mais
Clara: pra que você quer me explicar isso? você já terminou comigo, já foi, para de me machucar, isso dói - coloquei as mãos no rosto e depois o olhei, ele mordeu os lábios e olhou pra cima, tentando secar o rosto
Júnior: eu não queria isso, acredita em mim - disse negando com a cabeça
Clara: eu nem sei mais quem é você, como posso acreditar?
Júnior: não fala assim, eu continuo sendo o mesmo cara que você conheceu a quase três anos atrás, é só olhar pra mim que você vai ver
Clara: não, eu olho pra você e só vejo o quanto me enganei - ele negava com a cabeça e chorava, assim como eu - eu abri mão de tanta coisa pra estar com você, deixei de fazer tanta coisa, deixei de ser tanta coisa e o que eu recebo em troca é dor, é isso que eu recebo - chorei ainda mais - o que me deixa com raiva, é eu saber que mesmo você fazendo tudo isso, me machucando da pior forma, eu não vou conseguir deixar de te amar
Júnior: eu não queria que fosse assim
xxx: ô Clara, se perdeu aí - a porta se abriu e vi o Gui ali - o que tá acontecendo aí? - entrou no quarto
Clara: fala com o teu amigo, - passei por ele - entrega pra Carol, por favor - o entreguei o celular e saí do quarto, entrando direto no banheiro ali no corredor. Me olhei no espelho, respirei fundo e voltei a chorar. Por que eu tenho que amar tanto ele? por que eu fiquei pra ouvir a mesma coisa daquele dia no hotel? eu sou tão burra! Fui parando de chorar, lavei meu rosto e tenho que agradecer a santa alma que inventou maquiagem a prova d'água. Sequei meu rosto, saí do banheiro, passei pelo quarto do Davi e já não tinha mais ninguém ali. Desci as escadas e encontrei a Gabi passando pelo corredor da sala
Gabi: amiga, vamo tirar uma foto nesse tubarão - vi o Gui ali, que ficou me olhando
Clara: você é mais criança que as crianças, Gabriela - rimos e ela me puxou pra trás do tubarão
Gabi: Gui, tira aqui, por favor - entregou o celular pra ele, que tirou a foto e saímos dali - gostei, vou postar - eu ri e ela ficou mexendo no celular - pronto - me mostrou
gabsmarques: Fomos capturadas hahahaha @mclarafbertolli #DL5anos
 Gil: amor, vem cá ver um negócio - entrou ali rindo - oi Clarinha, nem te vi po - me deu um beijo e um abraço
Clara: só quer saber de beber né - rimos
Gil: nem bebo po - eu gargalhei
Clara: cara de pau - rimos
Gil: já te devolvo a Gabi - eu assenti, ele pegou ela pela mão e saíram dali, o Gui veio pro meu lado
Gui: por que não contou pra ela do que aconteceu lá em cima?
Clara: depois eu falo, ela já tá com raiva dele
Gui: e você tá bem? ele disse que você parecia estar passando mal lá - eu o olhei
Clara: eu tô bem, foi só uma tontura de novo
Gui: de novo? - lá vem
Clara: esquece isso vai, eu tô bem, vamo curtir a festa - o abracei de lado e fomos indo lá pra fora. O resto da festa até que foi bem tranquilo, a vó Berenice como sempre, uma figura, me diverti muito com ela e com o tio Benício. São uns queridos e que não mudaram o jeito de me tratar por eu não estar mais com o Júnior. Depois do parabéns meus pais quiseram ir embora e eu decidi ir com eles. Me despedi do pessoal, os meninos encheram o saco pra eu ficar, mas as meninas conseguiram enrolar eles, até porque, eu tinha contado pra elas sobre o que tinha acontecido.
Saímos de lá e fomos pra casa dos meus pais. Entramos, e eu já tirei minha sandália ali na sala mesmo
Clara: eu quero falar com vocês - eles me olharam - eu vou fazer o curso da FIFA, já decidi 
Marcela: e o que aconteceu pra você decidir assim, de uma hora pra outra? - se sentou no sofá e eu me sentei também
Clara: depois eu falo sobre isso com vocês, mas minha decisão já está tomada - meu pai se sentou na poltrona ali
Marcos: tem certeza?
Clara: absoluta, eu preciso ir embora daqui, senão eu vou ficar louca - me segurei pra não chorar - vou recuperar o tempo que eu perdi 






Mais um!!
Demorei mais nesse, porque não tive tempo.
Então vou combinar com vocês que postarei aqui aos finais de semana.
Essa é a certeza que posso dar. É óbvio que se eu conseguir, vou postar durante a semana também, mas a certeza é aos finais de semana.
Postei ontem no blog da Dani, porque desde que voltei, ainda não tinha postado lá (aliás, vão lá ler e comentem, please seusorrisomefazsorrirnjr.blogspot.com.br/)
E para as meninas que me pedem para divulgar seus blogs: eu vou fazer um post pra isso, porque eu sempre acabo esquecendo de fazer e eu juro que não é por que não quero, mas sim porque me jogo nos capítulos e esqueço de divulgar, não me xinguem.
Deixem as opiniões de vocês e me deem sugestões.
Vocês estão gostando?
Beijos!!